Aulas retornam a partir de 1º de outubro com medidas específicas de biossegurança

0
13

Com a nova fase de transição para a retomada da educação cearense, a partir de 1º de outubro, o Governo do Ceará lançou, no último domingo (20/9), um conjunto de medidas de biossegurança específicas para o retorno das aulas presenciais. O Protocolo das Atividades Educacionais foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) e inclui, entre outras orientações, a organização de um escalonamento dos horários de entrada, saída, intervalo, lanche e almoço das turmas para evitar aglomerações. A opção de ensino remoto está mantida.

Os profissionais da escola serão convidados a fazer um teste de covid-19 antes do primeiro dia de aula. Além disso, todos os funcionários devem ter tomado a vacina da H1N1 a fim de prevenir ocorrências de influenza que podem ser confundidas com a infecção pelo novo coronavírus.

As carteiras de vacinação dos alunos e dos profissionais serão conferidas pela unidade de ensino. Caso esteja com a imunização em atraso, a pessoa será direcionada para a atualização das vacinas antes de retomar as atividades presenciais.

Alunos e profissionais com temperaturas a partir de 37.5°C, ou que apresentem sintomas gripais, devem permanecer em casa. No momento da entrada, será medida a temperatura de todas as pessoas que chegarem à instituição e proibida a entrada daquelas que apresentarem 37,5°C ou mais. É imprescindível que todos estejam de máscaras, com exceção dos casos permitidos por lei.

Revezamento

Cada instituição de ensino estruturará um Plano de Rodízio de Alunos, priorizando o retorno dos estudantes com dificuldade de acessar a internet, para que seja reduzida a quantidade de pessoas na instituição de ensino ao mesmo tempo, de acordo com os limites estabelecidos em cada etapa. Os alunos que não se sentirem confortáveis ao retorno das atividades presenciais também poderão ter participação remota.

Para ponderar sobre a decisão do retorno às aulas presenciais dos filhos, é importante que os pais e responsáveis considerem as necessidades de suas famílias e seu nível de conforto com as medidas tomadas para reduzir a propagação da covid-19. Para auxiliar neste processo, foi lançada uma ferramenta, em forma de questionário, com perguntas para ajudar a mensurar os riscos e benefícios das opções educacionais disponíveis. O documento poderá ser solicitado nas unidades de ensino.

Se houver confirmação de algum caso da covid-19 entre alunos, a sala de aula em que o mesmo frequenta deverá permanecer fechada por 14 dias. Todos os que tiverem tido contato próximo com o caso positivo ficarão em quarentena durante o período. Havendo confirmação de pelo menos dois casos na unidade de ensino, em salas de aula diferentes, a escola inteira precisará ser fechada por 14 dias.

Estratégias

Desde junho, a Secretaria da Educação (Seduc) vem realizando um amplo processo de construção do Plano de Retomada das Atividades Presenciais, baseado no diálogo, por meio de reuniões do Comitê Consultivo Estadual, com os 23 Comitês Regionais e com todos os Comitês escolares por meio das Credes/Sefor, que se organizaram para contribuir com a elaboração do Plano.

A secretária da Educação, Eliana Estrela, observa que o Plano de Retomada das Atividades Presenciais tem a perspectiva de retomada gradual das aulas, respeitando alunos, professores, servidores e gestores.

“O fazer educativo, mais do que nunca, exigirá empatia para compreender e empreender numa nova e ainda desconhecida normalidade. Precisamos nos planejar com responsabilidade a fim de promover o ensino público de qualidade, de forma equitativa, considerando o contexto de cada unidade de ensino”, explica.

DEIXE UMA RESPOSTA