Calçados e pescados retomam importância na pauta exportadora cearense

0
144
Divulgação/Fiec

O Ceará em Comex de março, que analisa os dados do primeiro bimestre de 2019, mostra que o segmento de ferro e aço ainda é o mais importante na pauta comercial do Ceará, com exportações da ordem de US$ 200,5 milhões no acumulado do ano. O segmento de calçados, um dos mais tradicionais no comércio internacional cearense, vem apresentando recuperação nos últimos meses e contabilizou US$ 65,2 milhões no primeiro bimestre de 2019. É o melhor resultado para o período desde 2012. O Ceará em Comex é produzido pelo Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Ceará (FIEC).

Além dos calçados, o segmento de pescados também está em recuperação. Em fevereiro, o segmento manteve o ritmo de crescimento acelerado de janeiro e contabilizou, na soma dos dois primeiros meses de 2019, US$ 9,9 milhões em exportações. Esse montante é o maior já exportado pelo Ceará no período e garantiu ao estado a manutenção do posto de maior exportador do Brasil de pescados.

Outro destaque apontado pelo estudo é o segmento de “Máquinas, aparelhos e materiais elétricos, e suas partes” que cresceu 448,6%, sendo o setor que mais avançou entre os principais da economia cearense, registrando US$ 28,1 milhões.

Produtos

A análise dos principais produtos da pauta exportadora cearense reforça a importância dos calçados nas exportações cearenses. Entre os dez produtos mais exportados, três são do segmento. Outro destaque são as pás e geradores eólicos. O Ceará é líder nacional nas vendas externas desse produto, com US$ 27,9 milhões. Outros três produtos tradicionais nas exportações cearenses também mostraram avanço em 2019: as castanhas de caju, a cera de carnaúba e os couros bovinos com crescimento de 5,2%, 69,6% e 139,6%, respectivamente. Dos 10 principais, apenas os melões exibiram queda.

Importações

Os insumos utilizados na produção siderúrgica são os mais importados pelo Ceará. Os combustíveis minerais registraram um volume de US$ 123,1 milhões em importações. Os produtos químicos orgânicos e os cereais vêm em seguida com US$ 38,1 milhões e US$ 34,3 milhões importados, respectivamente. Hulha betuminosa, trigo, gasóleo e produtos da indústria de defensivos agrícolas são os principais comprados do exterior pelo Ceará.

DEIXE UMA RESPOSTA