Deputado estadual Bruno Gonçalves é investigado por possível compra de apoio eleitoral

0
257

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) informou nesta terça-feira (28/7), que tomou conhecimento de áudio do deputado estadual Bruno Gonçalves (PL) e que “já abriu procedimento para investigação. Os trabalhos estão em fase inicial. O caso encontra-se em sigilo.”

Em áudio vazado na quinta-feira (23/7) mostra diálogo entre o parlamentar e o pré-candidato a vereador em Fortaleza, Maninho Palhano. No áudio o deputado oferece dinheiro para o vereador ingressar no PL, partido da base do prefeito Roberto Cláudio (PDT).

“Por isso aqui tu ficaria com a gente?”, diz Gonçalves para Palhano. “Vamos fechar nisso aqui?”.

Noutro trecho, o deputado cita um valor entre R$ 150 mil e R$ 250 mil à disposição caso o pré-candidato, à época no PPL e atualmente no Pros, se filiasse ao PL.

“Eu arrumo, nem que seja do Fundo Partidário”, promete o liberal, que é filho do prefeito do Eusébio, Acilon Gonçalves, presidente do PL no Ceará.

Na mesma conversa, Gonçalves fala: “Eu acho que vou pedir a ele (Roberto Cláudio) em torno de R$ 2,5 milhões”. Em seguida, diz que, “da outra vez, ele deu R$ 1,2 milhão na eleição passada”, referindo-se ao pleito de 2016.

O parlamentar narra ainda que “essa estrutura aqui é responsabilidade minha”.

“Eu me responsabilizo por essa estrutura”, prossegue. “Se não vier dele (do prefeito), vem de mim.”

Em entrevista ao jornal  O POVO,   Maninho Palhano confirmou o encontro com o deputado Bruno Gonçalves e a oferta de dinheiro em troca de apoio na disputa.

Palhano contou que a reunião com o parlamentar foi realizada em março deste ano, pouco antes do fim da janela partidária, no gabinete de Gonçalves, na Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE).

“A iniciativa partiu dele, eles me chamaram para conversar”, relata.

O pré-candidato acrescenta que o deputado “foi claro na conversa” e que o objetivo era “ajudar o sucessor do prefeito” e a reeleição da mãe de Gonçalves, a vereadora licenciada e ex-coordenadora especial de Política sobre Drogas da Prefeitura de Fortaleza, Marta Gonçalves.

“É uma grana boa que, se o cabra não tiver cabeça, pula em cima”, reflete Palhano.

O pré-candidato afirma também que já prestou quatro depoimentos ao MPCE, três pessoalmente e um virtual, dentro de caso relacionado ao do deputado.

A última audiência teria sido em maio, virtualmente, por causa da pandemia do novo coronavírus. Nela, Palhano mostrou o áudio captado do diálogo com Gonçalves.

DEIXE UMA RESPOSTA