Justiça requer cancelamento de show privado em estádio de Cascavel

0
147
Estádio Municipal Antônio Estite – Foto: Kyko Barros [set/2019]

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), por meio da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Cascavel, ajuizou nesta sexta-feira (07/02), uma Ação Civil Pública (ACP) com nulidade de ato administrativo e pedido de tutela provisória antecipada de urgência em caráter liminar, em desfavor do Município de Cascavel e da empresa Prime ME determinando a anulação da permissão de uso do Módulo Esportivo Estádio Antônio Estite para a realização de evento de interesse particular.

De acordo com a promotora de Justiça Camila Frota Furlan, o MPCE solicitou à Administração Pública de Cascavel informações acerca do uso do equipamento municipal para a realização de show nesta sexta-feira (07/02), com a presença dos cantores Wesley Safadão, Zé Cantor e Iohannes Imperador.

Após análise da documentação fornecida pelo ente municipal, a representante do MP observou que os requisitos para a concessão da autorização de uso do espaço não foram suficientemente demonstrados, bem como estranhou a demora na apresentação. Além disso, a titular da 2º Promotoria de Justiça também percebeu a inexistência de termo de autorização ou permissão de uso do Módulo Esportivo.

Diante disso, foi solicitado à Secretaria de Educação, Cultura, Desporto e Juventude, pasta responsável pelo equipamento, acesso ao procedimento que autorizasse o uso do espaço para a realização do show. A promotora de Justiça ressalta que a liberação não foi precedida de qualquer procedimento administrativo e que o Município descumpre recomendação expedida pelo MPCE, em dezembro de 2019, por realizar evento em bem público sem atender aos requisitos mínimos de segurança, vistoria de engenharia, prevenção e combate a incêndio e condições sanitárias e de higiene.

Assim, o MPCE requer à Justiça a anulação do ato de permissão do Módulo Esportivo, Estádio Antônio Estite, para a realização de evento particular a ser realizado dia 07/02, e a não realização do referido show. Por fim, a ACP também requer que o Município de Cascavel se abstenha de realizar qualquer evento no Módulo Esportivo até a apresentação dos laudos técnicos e a demonstração do atendimento aos requisitos mínimos de segurança, vistoria de engenharia, prevenção e combate a incêndio e condições sanitárias e de higiene.

Em caso de descumprimento da Ação Civil Pública, caberá ao Município de Cascavel e à empresa Prime ME o pagamento de R$ 10.000 a serem revertidos em favor do Fundo de Direitos dos Direitos Difusos do Estado do Ceará (FDID).

Em tempo

Nesta tarde (07/2), o estádio foi interditado pelo Corpo de Bombeiros por ausência de Certificado de Conformidade (CCCB), de projeto contra incêndio, extintores, iluminação de emergência, dentre outros itens de segurança obrigatórios.

DEIXE UMA RESPOSTA