Pesquisa do Procon nos supermercados aponta que preços reduziram 3,83% em outubro

0
18

Em outubro, os preços de alimentos e produtos nos supermercados da capital cearense sofreram redução de 3,83%, de acordo com o novo levantamento do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgou nesta terça-feira (13/10). O índice interrompe uma alta consecutiva nos preços dos últimos cinco meses. A média da soma de todos os itens ficou em R$ 475,13 frente à pesquisa anterior, que somava R$ R$ 494,04. O Procon acompanha, mensalmente, a evolução dos preços de 60 produtos de primeira necessidade em todas as regionais de Fortaleza.

O levantamento também mostra que, mesmo havendo redução na média total, alguns alimentos e produtos apresentam alta variação de preços. O quilo do pimentão, por exemplo, pode ser encontrado com diferença de preço de até 436,24%, indo de R$ 1,49 a R$ 7,99. A cebola também apresenta alta variação, custando de R$ 1,38 a R$ 5,99, conferindo uma variação de 334,05%.

Maiores variações


Produto Menor preço Maior preço Variação
Pimentão R$ 1,49 R$ 7,99 436,24
Cebola R$ 1,38 R$ 5,99 334,05
Laranja R$ 1,49 R$ 4,99 234,89%

A pesquisa do Procon Fortaleza é dividida em itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil. Os preços são coletados, presencialmente.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, reforça que a pesquisa do Procon é consultiva. “É bom deixar claro que a pesquisa mensal nos supermercados é uma forma de oferecer ao consumidor fortalezense opções de preços de produtos e alimentos, não tendo caráter de fiscalização de preços”, disse.

No entanto, ela ressalta que o consumidor possui o direito de questionar e denunciar preços abusivos pelo telefone 151 (das 8h às 17h) ou pelo aplicativo Procon Fortaleza. Nestes casos, o Procon instaura investigação para que seja apurada elevação de preços sem justa causa, como proíbe o Código de Defesa do Consumidor (CDC).

Na análise por regionais, a Regional V concentra os preços mais altos, enquanto que os bairros das regionais II e VI apresentam os menos valores. O Procon ressalva que a média de preços por regional, por ser afetada, de acordo com a disponibilidade de produtos nos supermercados.
Preços por regionais

Regional Preço médio total
Regional V R$ 544,62
Regional III R$ 539,36
Regional Centro R$ 507,87
Regional I R$ 494,79
Regional IV R$ 431,87
Regional II R$ 422,82
Regional VI R$ 297,88

Dicas
– Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
– Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
– Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
– Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
– Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
– Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
– Confira a data de validade dos produtos;
– Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
– Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
– Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

DEIXE UMA RESPOSTA