Vereadores de Cascavel rebatem acusação de que são contrários ao funcionamento da UPA

0
726
Foto: Divulgação

Desde à noite de sexta-feira passada (17/1) o prédio em construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cascavel, está com faixas acusando cinco vereadores do município de serem contrários ao funcionamento da unidade de saúde. Os legisladores dizem em vídeo que não são contrários ao funcionamento da UPA, e, sim contra a contratação de Organização Social (OS) para a prestação dos serviços de saúde à população.

Os vereadores citados fizeram Boletim de Ocorrência (BO) na Delegacia da cidade Horizonte e entrarão com recurso no Ministério Público. O objetivo é investigar o caso e punir os responsáveis. Os vereadores são de oposição do prefeito Tiago Ribeiro.

Entre os citados está o presidente da Câmara Municipal, e a faixa diz o seguinte: “O vereador Sebastião Uchoa é contra a UPA. Mesmo assim a UPA vai funcionar”. Os demais mencionados são Ailton Dantas, Luciedson Freitas, Márcio do Brito e Rodrigo Maganize.

Em vídeo que circula nas mídias sociais, Luciedson Freitas reafirma o posicionamento dos demais vereadores de “punir os responsáveis por este ato criminoso”. Disse que “vão partir para cima” e que os responsáveis vão arcar não são contra o funcionamento da UPA, mas, sim, a contratação de profissionais através de Organização Social (OS).

Em mensagem ao site, o vereador Ailton Dantas disse que o prefeito está jogando a população “contra nós, inventando que é para o funcionamento da UPA, mas não é verdade.” E acrescentou: “Já registrarmos um BO e segunda-feira (20/1) iremos ao Ministério Público para apurar e identificar os responsáveis pela colocação dessas placas. Iremos processá-los.”

Para entender o caso

A Câmara Municipal rejeitou projeto de lei do prefeito Tiago Ribeiro, que defendia a criação de Organização Social (OS), para fazer a gestão de saúde, educação, transportes e outros serviços do município. A sessão foi realizada na noite de terça-feira (26/11), com a presença dos dez vereadores e a galeria cheia de pessoas que acompanharam atentamente a votação. O assunto foi pauta do site Revista Litoral Leste Ceará em 1º/12/2019. Como a votação foi empatada e precisava de dois terços, ou seja, de sete votos para sua aprovação, o projeto foi arquivado. Votaram contra os vereadores de oposição Ailton Dantas, Sebastião Uchoa, Márcio do Brito, Luciedson Freitas e Rodrigo Magazine. Apoiaram o projeto do prefeito os vereadores Joaquim Filho, Pricila Lima, Alberto Pompeu, Alex Costa e Dom Beto. Os vereadores de oposição defendem que a Prefeitura deva realizar concurso público para contratação de profissionais de modo a garantir o funcionamento. Para a Prefeitura, a gestão de serviços públicos, através de “OS” é uma tendência natural, na medida em que muitas prefeituras do interior cearense estão adotando essa “nova e moderna” prática de gestão da pública.

DEIXE UMA RESPOSTA